Os algoritmos podem ser discriminatórios?!

No dia internacional contra a discriminação racial queremos olhar para o
conceito de racismo algorítmico elaborado pelo pesquisador @tarushijio.

A aprendizagem de máquina (machine learning) se baseia em algoritmos que
utilizam técnicas estatísticas e matemáticas para análise de grandes volumes
de dados e identificação de padrões para recomendar ações.

Os sistemas são alimentados com informações que refletem uma sociedade
injusta, assim, os vieses encontrados nelas levam à tomada de decisões
discriminatórias. Vieses algorítmicos que ocorrem com maior frequência são
relacionados à raça, ao gênero, à nacionalidade, à orientação sexual, à
deficiência ou à idade.

Podemos mudar isso?!
A diversificação do perfil dos profissionais que desenvolvem algoritmos é uma
ótima estratégia. Negros e mulheres representam apenas 30% dos
profissionais de TI, o que contribui para que uma coleta enviesada passe
despercebida. Uma equipe mais inclusiva traz abordagens diferentes e ajuda a
prevenir esse tipo de falha nos sistemas.

É possível reprogramar e otimizar a representatividade, assim como outros
tipos de conteúdo são otimizados. Também é possível incluir, nos testes de
algoritmos, padrões que evitem o viés.

#descodificadas #maismulheresnati
#maismulheresnacomputacao #garotasqueprogramam
#mulheresqueprogramam #mulheresnatecnologia #racismoalgoritmico
#racismoalgoritimiconao #diainternacionalcontraadiscriminacaoracial
#diainternacionalcontradiscriminacaoracial #aprendizagemdemaquina
#machinelearning #discriminacaoalgoritmica #viesalgoritmico